Olá, mundo!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

REFLETINDO COM MIRAMEZ

Estudando a natureza, será notado o comando de
Deus em todas as suas particularidades estuantes, marcando a presença
da vida na sua floração de amor. Em se falando do corpo físico do homem
na Terra, é ele o maior fenômeno volante no mundo em que vives. Pode-se
dizer que é o milagre da natureza para os homens, embora ainda não seja
bem compreendido pelas criaturas da Terra.

Passe a
meditar na natureza e perceberá a inteligência que a comanda
sabiamente, as águas das plantas que serve a todos invariavelmente. Se
queres encontrar Deus, começa estudando a natureza, que logo verás o
Senhor operando em todos os sentidos. A natureza entende a fala do
homem; basta que o ser humano a ame na dimensão que esse amor pede. A
comunicação existe em toda parte…

Voltando para dentro de nós, observamos uma consciência instintiva, que
é parte da consciência profunda em comando aos órgãos, materiais e
espirituais, e que pode receber ordens igualmente da consciência ativa.
Se queres harmonizar teus órgãos em decadência, fala com eles, pede à
consciência que os comanda o que desejas de saúde, de bem-estar. Saber
pedir é um passo no caminho de receber. Até as células entendem a
vontade da mente; elas são vivas e obedientes. Quando desejas alguma
coisa de um companheiro, não falas a ele com carinho? Faça o mesmo com
os órgãos do teu corpo e esforça-te para dar a esses órgãos vibrações
de paz e de entendimento.

Mude a tua vida, abandonando os vícios e fazendo despertar em ti
hábitos indispensáveis à vida orgânica, predispondo, assim, o todo
somático para viver em paz com o universo. Procure harmonia em toda a
extensão do viver, que logo ela baterá nas portas do teu entendimento.

Quando Jesus aconselhou o perdão, foi no sentido de criar paz entre as
criaturas, e essa paz é filha da harmonia universal. Quem não perdoa,
não pode ter alegria e quem não tem alegria, desconhece o amor. Seja o
que for que acontecer contigo, não saia das linhas traçadas pelo
Evangelho. Se ainda não o conquistaste, esforça-te para ganhar esse
prêmio. Batendo todos os dias na tecla do entendimento, obterás notas
de tranquilidade que não se perturbam com nada que possa acontecer,
disfarçando a verdade.

Comece o dia sorrindo para a vida, trabalhando e ajudando quem
trabalha, estimulando o bem em todas as suas feições, de modo a criar
em tua mente somente a disposição para a alegria e o amor. Não permitas
que a influência do mal te atinja, e evance com Jesus, que os anjos te
cercarão de entendimento maior.

Não te esqueças da natureza, observa todos os dias suas lições
imortais, que provem das mãos do criador. Fortalece a tua mente com
caridade que não exige e com o amor que não especula; com a paz que não
contradiz, com o perdão que esquece as ofensas e com a fraternidade que
abraça a todos como irmãos em Cristo.

Ama a natureza, irradiando para ela a alegria, que as suas lições te
chegarão mais claras aos sentidos, e em sua expressão poderás ver Deus
mais perto.



Publicado em reflexões | Deixe um comentário

PODE ACREDITAR


Falará você na bondade a todo instante, mas, se não for bom, isso será inútil para a sua felicidade.


Sua mão escreverá belas páginas, atendendo a inspiração superior; no
entanto, se você não estampar a beleza delas em seu espírito, não
passará de estafeta sem inteligência.



Lerá maravilhosos livros, com emoção e lágrimas; todavia, se não
aplicar o que você leu, será tão-somente um péssimo registrador.



Cultivará convicções sinceras, em matéria de fé; entretanto, se essas
convicções não servirem à sua renovação para o bem, sua mente estará
resumida a um cabide de máximas religiosas.



Sua capacidade de orientar disciplinará muita gente, melhorando
personalidades; contudo, se você não se disciplinar, a lei o defrontará
com o mesmo rigor com que ela se utiliza de você para aprimorar os
outros.



Você conhecerá perfeitamente as lições para o caminho e passará, ante
os olhos mortais do mundo, à galeria dos heróis e dos santos; mas, se
não praticar os bons ensinamentos que conhece, perante as leis Divinas
recomeçará sempre o seu trabalho e cada vez mais dificilmente.



Você chamará a Jesus; mestre e senhor…; se não quiser, porém,
aprender a servir com ele, suas palavras soarão sem qualquer sentido.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Loopy Crochet Granny Square – Part 2

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Loopy Crochet Granny Square – Part 1

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

PARA SE PENSAR… ETs EXISTEM


Edgar Mitchell, astronauta aposentado que
participou da missão Apollo 14, com destino à Lua, em 1971, afirmou que
existe vida extraterrestre e que o governo americano esconde
informações sobre o assunto.
As declarações foram dadas durante a quinta X-Conference, um encontro
anual que reúne ufólogos e outros que acreditam na existência de discos
voadores e formas de vida alienígenas, realizada em 19 de abril de 2009.


Entre suas informações, o astronauta Mitchell disse que não estamos
sozinhos. Nosso destino é nos tornarmos parte de uma comunidade
planetária. “Nós devemos estar prontos para ir além do nosso planeta e
além do nosso sistema solar para descobrir o que está acontecendo lá
fora.”


Faz algumas menções sobre o conhecido caso Roswell, cidade onde ele
cresceu, e diz que foi aconselhado a não fazer pesquisas sobre o
assunto. As pessoas da comunidade foram silenciadas pelas autoridades
militares que ordenaram não se falasse sobre tal acontecimento
envolvendo um ET que teria sido capturado.


“Não há dúvida que estamos sendo visitados. O universo em que vivemos é
muito mais maravilhoso, emocionante e abrangente do que jamais fomos
capazes de entender”, disse Mitchell.


O interessante das declarações do astronauta não é a existência de
discos voadores ou vida extraterrestre, algo absolutamente óbvio, mas a
informação da convivência estreita de seres de outros mundos com a
humanidade da Terra, numa aproximação maior do que supomos. Podemos
estar convivendo ou tendo amigos e parentes de outros planetas que aqui
estão com tarefas de pesquisas. Diríamos, agentes secretos ou olheiros,
de outros astros.


Interessante também saber que esta aproximação tanto pode visar
interesses contrários aos nossos como favoráveis. E se eles estão mais
adiantados do que nós, provavelmente querem nos ajudar. Se o inverso
ocorrer, desejam aprender. Imaginar que alguém cuja capacidade lhe
permitiu vir de mundos distantes, até nós, nada tem a aprender conosco;
não é inteligente. Muitas vezes a tecnologia não acompanha a sabedoria
e ela tem influência grande não apenas no espírito, mas também no
físico. Entre os homens encontramos analfabetos com mais lucidez que
muitos doutores com todas as pós-graduações.


Os extraterrestres, já se noticiou, nos têm como uma humanidade bonita.
Logo, desejarão conhecer detalhes sobre nosso DNA, evidentemente.
Fala-se em abduções – sequestros –, para colheita de material humano
usado na fertilização de pessoas de outros planetas. Há muita
especulação sobre o assunto; alguma verdade deve existir!
Quando ele diz que estamos num universo muito mais maravilhoso,
emocionante e abrangente do que jamais fomos capazes de entender, deixa
claro ser perfeita a obra de Deus e que ainda não temos atributos para
perceber toda a sua grandeza.


Se tivéssemos olhos de ver e observássemos a natureza com mais
interesse, compreenderíamos muito do que disse Mitchell. Os milagres da
criação exibem-se diariamente para todos nós!


Vejamos a fertilização de uma planta, nascida a partir de uma semente.
Semente que pode ser guardada por milênios e que se transforma na
árvore quando oferecida ao solo. Poderíamos definir como um milagre da
criação!


Quando analisamos a atividade dos órgãos do corpo humano, vemos que
trabalham em regime de mutirão. Cada um cumpre a sua finalidade e deixa
para o outro a continuidade da obra. A boca tritura; o estômago digere,
o intestino processa e o baço aproveita o que possa nutrir o corpo.
Enquanto isso, alheio ao que se passa, o coração coadjuvado por veias e
artérias distribui todo esse alimento a fim de manter-nos saudável. Só
não funciona bem quando nós atrapalhamos e, vivendo errado, entupimos
nossos vasos. Disso nascem as doenças.


Vamos além, observando as marés, o Sol e a Lua, a noite e o dia, e
entenderemos a ciência de Deus regendo as leis da criação, com controle
e precisão absolutos. Quando bem compreendidos, os tsunamis, tornados,
inundações, terremotos ou vulcões passam a ser manifestações naturais
em favor da humanidade, apesar de não entendermos as razões porque, às
vezes, infelicitam as comunidades, se as analisamos sob a ótica humana.
Mas se observarmos pelo lado espiritual, tudo ficará mais fácil de
entender e o mal vira preparação para um futuro mais ditoso. Difícil de
entender? Muito! Mas quem tem fé deve pensar dessa forma.


Esses homens que saíram da esfera planetária grosseira para ter contato
com camadas mais sutis, seguramente viram, ouviram ou sentiram algo que
os transformou. Numa figura alegórica, ficaram mais perto de Deus
porque estavam despidos de interesses materiais, com olhos e ouvidos
bem abertos e mergulhados no silêncio divino. Quando voltaram, foram
todos tomados de certo misticismo e acabaram deixando suas tarefas como
astronautas. Nunca puderam falar por imposições legais e deveres
profissionais. Mas que eles sabem muita coisa interessante, lá isso
sabem.

Um dia conheceremos mais e entenderemos toda a magnitude do Criador! Esse tempo está chegando!…

Por enquanto, celebremos a figura excelsa de Jesus em mais um Natal que a humanidade festeja!




Publicado em reflexões | Deixe um comentário

Vida Passageira

Uma inegável realidade de nossa existência é a passagem do tempo.
Quando folheamos os álbuns da vida, vemos fotos de nossa infância e nos
deliciamos com os acontecimentos passados na nossa jornada da vida.
Tantos momentos felizes. O abraço carinhoso dos pais. A família reunida
nas efemérides. O dia do nosso enlace matrimonial, o nascimento dos
filhos e dos netos. Oh! meu Deus! Quantas coisas boas já vivenciamos. É
verdade também que momentos amargos fizeram parte da nossa cesta básica
da vida. É assim mesmo. Alimento sem sal é sem graça e sem sabor. Deus
sabe o que precisamos para o nosso crescimento. São os desafios, as
dificuldades e as lutas que nos fazem crescer em direção aos altiplanos
celestiais. Cada dificuldade que a vida nos oferece é uma alavanca para
o nosso crescimento.


Ao lançar nosso olhar para o nosso passado, tomamos consciência do
quanto nossa vida é passageira. Oxalá meditemos por essa mesma razão,
duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de
fazer os outros felizes. Esse é o caminho e a direção que oportunamente
o futuro nos mostrará no filme da vida, como um jardim florido pelos
nossos atos de amor, de justiça e de caridade. Nada de se colher as
flores cedo demais. Sabemos que há sementes que nunca brotam e outras
que vivem a vida inteira sem despertar para a realidade do espírito, e
pétala por pétala, vividas na consciência do sono, são entregues ao
vento. É verdade que não somos adivinhos e nem predestinados, para
conhecer o futuro de nossas vidas; nem mesmo sabemos se teremos tempo
para florir e enfeitar o Éden de nossa viagem pelo planeta Terra.
Exatamente por não sabermos a duração de nossa viagem pelo planeta de
provas e expiações é que nós descuidamos dos nossos compromissos com a
vida, com o reto proceder, com a família e com a religiosidade.
Esquecemo-nos das lições do Divino Jardineiro: Orai e Vigiai. Cuidamos
pouco de nosso espírito e da lei que o Homem de Nazaré nos trouxe em
nome do imenso amor que Ele nos dedica: a Lei de Amor, de Justiça e de
Caridade. Insisto: descuidamos de nós e dos outros; deixamo-nos
entristecer por coisas pequenas e contrariedades do dia a dia, perdendo
minutos, horas, meses e anos preciosos em relação aos compromissos
assumidos na pátria espiritual.
E assim é que nos calamos quando deveríamos falar; falamos demais
quando deveríamos silenciar. Não abraçamos a esposa, os filhos e os
amigos como anela nossa alma com sofreguidão, porque algo em nós impede
essa aproximação. O ósculo como Jesus fazia então nem pensar. Dizemos
para nos justificar: “não estamos acostumados com isso”. Mais ainda:
não dizemos que gostamos de alguém porque achamos que o outro sabe
automaticamente o que sentimos. Mesmo que ele saiba, é bom e faz bem à
alma recordar o nosso amor ao próximo. Quando sentir em seu espírito
que deseja externar esse sentimento de amor, pela palavra articulada ou
por um gesto de carinho, um abraço ou um beijo, não o reprima. Diga a
sua esposa, ao seu filho, ao seu amigo: Eu te amo.
Estamos convictos por conhecer de cátedra essa postura, que nessa
ensancha se perceberá o brilho da luz que se acende nos olhos do ente
querido. Não raras vezes, esse brilho se fará acompanhar de lágrimas
que lavam a alma e purificam o espírito em nome da excelência do amor
que o Cristo de Deus nos trouxe para ser vivenciado em Seu nome e do
Pai Celestial. Não nos permitamos que a noite nos entregue nos braços
de Morfeu e o dia renasçamos nas mãos de Cronos para continuarmos as
mesmas criaturas fechadas em nós mesmos, eternamente reclamando nada
ter, ou achando que o que temos não nos basta.
Não por outra razão estamos sempre cobrando, implacavelmente,
procedimentos e graças dos outros, da vida e de nós mesmos. Já nos
acostumamos a comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais do
que a gente. Olvidamos que aquele que se compara se exalta ou se
diminui perante a vida e a Divindade. Cada ser tem o seu próprio valor
e é um ser personalíssimo. Basta confiar no Senhor da Vida. Ele sabe o
que faz. Por isso Ele é Onipotente, Onisciente e Onipresente.
É com esse sentido que o tempo passa e muitos de nós acabamos passando
pela vida sem vivê-la em plenitude. Sobrevivemos porque nos falta a
religiosidade e não sabemos fazer outra coisa se não reclamar.
Chegará, todavia, para todos os filhos da Consciência Cósmica,
indistintamente, o momento em que acordaremos e olharemos para trás e
nos questionaremos: E agora? Agora amigos, hoje, ainda é tempo de
reconstruir nossas vidas, na fraternidade e no amor que nos trouxe o
Divino Galileu. O amor não tem nem hora nem tempo, é sempre oportuno
dar o abraço amigo, dizer uma palavra carinhosa, agradecer pelo que
temos: a saúde, o corpo perfeito, a família, as provas e os desaires da
vida, ferramentas de crescimento para os filhos da Providência Divina
alcançarem os páramos celestiais.
De fato, nunca se é velho ou jovem demais para se amar, dizer uma
palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso. Por essa razão, não olhe
para trás. O que passou, passou. Foram aulas preciosas para a nossa
elevação espiritual. Agora é hora de olhar para frente. Ainda é tempo
de apreciar as flores que estão inteiras ao nosso redor. Ainda é tempo
de voltar-se para Deus e agradecer pela vida que, mesmo passageira nas
existências terrenas, ainda está em nossas mãos pelo exercício do
livre-arbítrio; fazê-la bela, colorida e consentida, pois somos sempre
eternos. Não se esqueça que o ontem é passado, o amanhã a Deus
pertence, mas o hoje, como o conhecemos na conjugação dos verbos é o
tempo presente. Presente que o Sentimento Divino nos concede para que
possamos implantar a reforma íntima de que carecem nossos espíritos em
direção às estrelas.
Afiance-se por isso que, conhecendo o fato de que quando chegar o
momento de nossa grande viagem, único fatalismo que existe neste
planeta de Deus, levaremos na nossa bagagem apenas a edificação do bem.
Estejamos preparados, alegres, felizes e com a alma repleta do perfume
de Jesus, para quando chegarmos aos esplendores celestes nosso traje
seja de pureza como carta de alforria para haurir as bênçãos do Senhor
da Vida.




Jaime Facioli


Jornal O CLARIM

Publicado em reflexões | Deixe um comentário